Retrospectiva de 2013

Precisei pegar uma xícara de chá para escrever sobre este ano que está se findando. Terei o cuidado de me lembrar dos melhores e não tão melhores momentos, com carinho, pois de algum modo modificaram algo em mim, e devo meus centímetros ou milímetros de crescimento a estes bem vividos momentos.
Muito sorri e algumas vezes chorei, tudo em prol de uma transformação. Terminando este ano e começando este texto dizendo que me sinto bem mais humana.

- A passagem que me emocionou a cada grito ou postagem - Letras Brasileira - Brasil Literário.


"Se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi, Roberto Carlos." 

Iniciamos um movimento nas redes com intenção de levar nossa literatura até a mídia. Queríamos também estar nos canais que poderiam falar de nossa arte, de nossos escritores. Queríamos dizer que estávamos vivos, escrevendo em alguma escrivaninha, e que queríamos ser respeitados dentro de nosso território. É claro que muitos compartilharam do grito, mas poucos se arriscaram a entrar na chuva, dá trabalho, ocupa o tempo e nada é de graça. Chorei algumas vezes debruçada em meu teclado. Então entendi que as coisas não são no meu tempo e que nem todos ainda estavam preparados para uma ascensão, pois esta jamais viria do céu. Daí, nasceu um projeto - Letras Brasileiras. Dei vida jurídica, registrando-o num cartório. Seu objetivo - publicar escritores advindos de escolas públicas. O que iniciou o processo real em Novembro deste ano, em Fortaleza. 

- Tive grandes perdas. Uma grande amiga e um grande amor, logo no comecinho deste ano. Precisei buscar o apoio daqueles que me amam e dos meus livros, para poder seguir em frente. 



"Dos nossos planos é que tenho mais saudades, quando olhávamos juntos na mesma direção, aonde está você agora além de aqui, dentro de mim, Renato Russo."

Sergio (Checho) foi primeiro. Nos deixou em Março. Levou um pedaço de mim e deixou grandes lembranças e muitas saudades. Encontrando algumas cartas dele, e um bilhete que eu havia escrito no tempo em que estávamos juntos, inspirei-me para escrever a obra Checho para sempre, em homenagem a Che, que jamais em minha vida irei esquecer. 

Foto: COMUNICADO:

É com pesar, comunico  a grande perda de nossa amigona Nádia Souza que foi morar com o Senhor, atendendo ao seu chamado, deixando dentro do coração, a eterna lembrança de tudo que ela nos deixou, ajudando-nos sempre, chorando conosco pelos nossos. Nadia partiu e deixou mais uma lição de força, determinação e desejo intenso de viver. Vai com Deus amiga, que o Papai do céu cuide de você, e te mostre o caminho da luz, trazendo conforto para os seus. Leve contigo o abraço fiel sempre desta família que te recebeu como se fosse parte dela. Em nome da família Vargas, te desejo paz, descanso e luz.
Peço oração pela família de Nadia Cabral

http://www.youtube.com/watch?v=zDeQ538FAZM

"Qualquer dia amigo eu volto a te encontrar. Qualquer dia amigo a gente vai se encontrar... Milton Nascimento"

Nadia foi alguém de dentro de minha casa, de minha família. A menina que estava sempre disposta a nos amparar em qualquer empreitada. De repente, uma doença imperdoável a levou e tive muita sorte de estarmos juntas em seus últimos momentos, e poder me despedir de minha amiga querida, que amo tanto. Houve tempo de lhe dizer do meu sentimento e de agradecer por tudo que nos fez. Deixou saudades. Ainda não posso passar direito na frente de sua casa. Mas sei que agora ela está bem. 

- Ganhei um tesouro. A remissão de meus pecados e defeitos - Maria Clara.

Nasceu dia 27 de Fevereiro às 18:30h, minha primeira neta. Estava receosa. O cordão umbilical estava com três voltas no pescoço. Os médicos insistiam em parto normal. Os movimentos da criança na barriga de minha filha, já não estavam presentes. Íamos e voltávamos do hospital em busca de vagas para a internação e nada. Chorei, fiz bafão, promessas. Enfim... Eu queria minha neta saudável em minha casa. 
Então após uma consulta, um médico foi iluminado por Deus e reconheceu que a bebê não suportaria um parto normal e nos ajudou conseguir uma cesariana. Chorei com meus amigos no facebook, que acompanharam toda a luta e o processo. Então ela nasceu saudável. Cresce entre os livros e meu trabalho com a editora MODO. Então sou feliz com ela e nada me emociona mais do que ver seu sorriso de dois dentinhos. Descobri o mais intenso dos amores depois de tanta coisa que já vivi.




Foto: Maria Clara falou sua primeira palavra, e quando ela fala, olha para mim:
Vovó



"Te amarei de Janeiro a Janeiro até o mundo acabar, Nando Reis."


- Consegui estar lá, fazer parte de um sonho - ver a editora que vi nascer, que dou meu sangue, e me dedico, ter seu próprio espaço na Bienal do livro. 

Embora estivesse totalmente afônica e com crise alérgica, estive lá, gritando sem voz na passeata em prol dos escritores nacionais, levando minha bandeira - o banner do Clube dos Novos Autores. Dentro de mim, eu escutava o hino nacional e isso me encheu de orgulho. Mesmo tendo perdido o horário de meu lançamento, não me lastimei, foi tão profundo, sincero e lindo o que me aconteceu, e que jamais se repetirá igual, que nada mais importava. A Bienal do livro do RJ tinha cumprido seu papel para mim. 



- O evento mais importante deste ano - MOCHILA LITERÁRIA.



"Isso aqui ioiô é um pouquinho de Brasil iaiá, esse Brasil que canta e é feliz, feliz, feliz, Gal Costa!

Eu estive lá, e quero contar para minha netinha como me senti. O fato não foi a inexperiência da marinheira de primeira viagem, mas o modo como recebi tanto amor, tanto carinho e amizade. Foi lindo falar pela primeira vez dos meus sonhos guardados com amor e me emocionar junto com um público. Foi maravilhoso conhecer pessoas que eu somente via pelas fotos no facebook; lugares maravilhosos que jamais imaginei que pudesse estar. Foi intenso a extensão do calor que o ser humano consegue transmitir quando você se encontra longe de casa e precisar somente disso para se sentir bem. Resumindo e sem palavras - o ML foi a maior experiência vivida até aqui durante a minha carreira.

- Sim, eu sofri. A maledicência induz e traz à tona o melhor e o pior de nós mesmos. 


"E ainda se vier noites traiçoeiras, se a cruz pesada for, Cristo estará contigo. O mundo pode até fazer você chorar, mas Deus te quer sorrindo, Padre Marcelo."

Não quero me estender neste assunto, pois tudo que tinha para dizer sobre isso, já disse e já chorei. Mas gostaria de frizar mais uma vez para as pessoas que fazem de uma tempestade num copo d'água uma cruz para te sacrificar e uma sentença para te condenar - somos imperfeitos, mas sonhamos. E talvez um sonho seja a estrutura de alguém, a única coisa que lhe restou. Cuidado. Não sabemos o dia do amanhã.

- Mudar é preciso quando os pulmões precisam de ar para respirar. 



Eu não nego que sou mística e tenho os pés no esoterismo. Tive um sonho em relação a este livro, e tudo que sonhei, estou seguindo à risca. O logo contido nele anuncia uma nova casa editorial - Sollo. O trabalho com a MODO me limita a ser escritora em meu ambiente de trabalho, sem poder divulgar meus livros nas redes sociais da editora, para evitar muitas coisas. Confesso que foi uma decisão difícil de se tomar, pois jamais me vi em outra editora. Escolhi a Sollo por ser honesta, simples e advinda de pessoas que se comprometem com a literatura, e não com a empresa da literatura. Sinto-me honrada por estar entre amigos e pessoas que sonham como eu.  

Por aqui fico dizendo, que foi um ano que me realizou em muitos aspectos e me trouxe muita maturidade e crescimento espiritual. Que 2014 possa ser tão iluminado quanto 2013. O que desejo para mim, desejo para vocês - paz, amor, saúde, inspiração e Deus.

4 comentários :

  1. Eu acho que foi um ano de lições para nós duas, né?
    Dividi muitos desses momento contigo e espero dividir ainda outros, porque não há nada mais bonito do que perdoar e amar de novo!
    Feliz 2014, amada!
    Que ainda venham muitos sucessos nesse seu caminho lindo e iluminado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, amada!
      Quero ficar mais cem anos contigo, se fosse possível. Sua amizade é rara. Bjs.

      Excluir
  2. Eu fico feliz de ter feito parte do seu ano, esse ano nos aproximamos mais como leitora/autora e depois como amigas. Cada vitória sua é mais uma estrelinha brilhando nos meus olhos, porque muito me alegra saber que existe pessoa assim, disposta a ser leoa quando muita gente só quer ser gatinha. Você é minha diva, minha campeã. Vou continuar aqui. Te amo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada meu amor, também te amo e te admiro muito. Você está em meu coração.

      Excluir