Resenha: Como eu era antes de você, Jojo Moyes

Título da resenha - meu amor dentro de um livro -Will...


2013 / 320 páginas - Intrínseca

Sinopse:

Como eu era antes de você - Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Além disso, trabalha como garçonete num café, um emprego que ela adora e que, apesar de não pagar muito, ajuda nas despesas. E namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe.
Quando o café fecha as portas, Lou se vê obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, a ex-garçonete consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto e planeja dar um fim ao seu sofrimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro.

Resenha:


Me encantei pela capa, e confesso que foi ela que me fez comprar o livro. Já na página 71, a obra estava me deixando atônica à espera da realização de expectativas geradas, e algo me dizia que ela irá se cumprir. 
A escrita de Jojo é reveladora, humor sarcástico inteligente, não daqueles tipos bobos e piegas. Enfim, estou lendo Como eu era... e já de olho nos próximos que comprei dela, já colocando na lista de compras, como prioridade, o último lançado que ainda não tenho. Will parece ser aquele cara que irá me tirar do chão, com seu humor nada agradável, mas que esconde em si, segredos íntimos que o levam a agir desta forma, além de seu estado. 
Lou, bem, ela é incrível com suas roupas estranhas, me identifico muito com ela neste sentido, pois gosto de fugir em meu vestuário de vez em quando, para poder me encontrar. Enfim, dei boas gargalhadas, me emocionei, mas não consegui chorar como a maioria das pessoas que leram a obra, relatam. Sentia-me muito ansiosa durante a leitura, e muitas vezes me peguei pensando em Will... Talvez eu tenha me apaixonado por ele de uma forma insuportável (se é que me entendem). Creio que com Lou aconteceu do mesmo modo. 
Demorou muito para chegar a parte que eu mais torcia ,e quando chegou, bem... Poderia ter sido mais visceral? Sim? Não? Só não sei como...  Não tenho tanto tempo para ler, pois minha leitura é cronometrada por um relógio, mas desabafo minha lástima por não poder pegar as mãos de Lou e colocá-las no rosto de Will e dizer a ele o que eu tanto gostaria - Will, Você é simplesmente apaixonante... Do jeitinho que você é... 
Ao terminei a leitura do livro. Ao contrário do que imaginei, não chorei, embora tenha ficado triste e torcido para que o final tivesse sido outro até o momento derradeiro, mas compreendo que mesmo nos livros, a liberdade de escolha do ser humano é uma das coisas mais fortes que existem. Talvez eu me sinta melhor ao pensar que poderia ter se sentido muito pior, se Will jamais pudesse escolher por algo em sua vida. Sei que é apenas um livro, mas Jojo me fez acreditar que Will e Lou existiram, mesmo que seja dentro de mim.

1 comentários :