Ruthy S. Doretto



Ruthy Sabrina Doretto, 20 anos. Mais conhecida e chamada de Sabrina. Mora numa cidade chama Hortolândia – SP. Nascida 04 de Outubro de 1997, na cidade de Campinas – SP.
Começou escrevendo poemas e romances que não chegou a serem publicados, até nascer o “Por trás das sete cores” primeiro romance completo.



Romance LGBT que será lançado pela Editora EllA



SINOPSE

Está pronto pra conhecer o Thomas? Um garoto de 16 anos, complicado, com vários problemas internos, que se apaixona perdidamente pelo Fred, que não é muito diferente dele. Mas em questão de segundos, sua vida muda drasticamente e a confusão ofusca os sentimentos, os pensamentos e o passado, deixando uma vida conturbada e fora de ordem.


Quote:



Mensagem da obra:

Não escolhemos quem amamos. Não conhecemos todas as pessoas profundamente e o que nós vemos superficialmente, nem sempre é a realidade de alguém. Depois que vemos o interior de alguém, aí decidimos se vamos ficar ou ir embora, e as duas opções são dolorosas. Enfrentar a família, a sociedade, enfrentar a si mesmo e os seus problemas é uma coisa difícil e não escolhemos sofrer, assim como não escolhemos quem amar. E não importa o que aconteça no futuro, sempre vai valer à pena.




Marcos Well


NOVELAS NADA DELICADAS








Frase retirada do livro:

Somos criaturas desavergonhadas e luxuriosas. Nosso corpo é como um mapa, quando nos entregamos aos prazeres da carne, deixamo-nos sermos descobertos. Talvez o pudor seja apenas uma forma de maquiar a nossa vulnerabilidade aos desejos.




Trecho:

— Então, meninas, sobre o que tanto conversam? — Walter puxou uma cadeira ao lado de Hera e sentou-se.
— Estou aqui narrando algumas das minhas aventuras como dominatrix profissional para a Mýa Rivers. Sabia que ela é escritora?
Walter investigou o semblante de Mýa de forma intimadora.
— Sim. E escreve sobre histórias eróticas. Estou aqui dando um pouco de material para que ela possa escrever o seu novo livro.
— E está a escrever um novo livro?
— Sim… — disse a escritora, sem jeito. — Ainda é um projeto. Estou colhendo material, quero dizer, acho que hoje finalizo isso com tudo o que a Hera me contou.
— Maravilhosa, não é? Ela tem muita experiência. Sobre o que se trata seu livro novo?
— Estou escrevendo sobre pessoas e seus respectivos fetiches.
— Nossa! Eu tenho alguns fetiches — após pronunciar a frase, o homem invadiu o olhar da escritora com o seu. Permaneceram fitando-se por longuíssimos segundos, até que Hera os interrompeu.
— Todos somos fetichistas, Walter, e eu estou começando a achar que você tem fetiches por escritoras.
— Talvez…
Mýa sorriu com o comentário.
— E você, Mýa, apesar de escrever sobre todas essas coisas, que tipo de fetiche você cultiva?
A mulher permaneceu em silêncio. Buscou na memória algo com que pudesse responder aos espectadores à mesa, mas não encontrou nada em sua mente.
— Ah, eu realmente não sei.
— Você tem que se investigar. Sabe o que eu aprendi? A fazer um diário erótico — disse Hera. — Geralmente registro todas as minhas sessões em um caderninho, sabe? Deixo tudo por escrito, assim vou descobrindo quem sou.
— Meu maior desejo, neste momento, era ter em mãos esse diário — Mýa falou, bem humorada.
— Um dia, quem sabe, não é?
— Mas essa ideia do diário é maravilhosa, sabia? — intrometeu-se Walter. — Temos muito medo de quem somos, e mais medo ainda de descobrir-nos. E essa é uma forma de chegarmos a nós mesmos sem precisarmos passar por determinadas situações. Investigando a nossa individualidade, coisas que nos excitam, experiências de pico.
— Olha só, o colombiano está por dentro do assunto.




SINOPSE:

Fetiche do francês fétiche, que pode significar objeto enfeitiçado ou mágico, um comportamento sexual, parte do corpo ou objeto que desperta excitação sexual.

Mýa Rivers é uma escritora de carreira feita. Com vários livros publicados, ela se mete numa pesquisa de campo para desenvolver uma nova história. Para isso, convida homens e mulheres fetichistas a visitarem seu escritório e contar-lhes suas experiências de pico, onde o êxtase fora alcançado de forma enlouquecedora.

Diante de voyeurs, dominadores, escravos sexuais, submissos e sugar daddys, ela passeia por todas as possibilidades de se adquirir prazer, fugindo de regras e padrões impostos pela sociedade. No entanto, mesmo metida em meio a histórias desejosas, sua vida pessoal e seu passado não deixam de atormentá-la. Além de lidar com o material que tem em mãos, ela terá que superar um grande trauma.